visualizações de página

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Sarandi em tempos obscuros de ditadura, perseguição, coronéis, capangas e capatazes



Bianco e logo atrás alguns cargos comissionados atapalhando o ato público.


Adentramos uma nova era na cidade de Sarandi. Um era negra, revestida de intolerância, revestida de condutas nazistas e autoritárias. Uma espécie de idade média moderna e arrojada, repleta de neo inquisidores que tomam o poder ao mesmo tempo em que compartilham mensagens no twitter e no Facebook.

A você que se acomodou no sofá da tua casa, que não assume o erro de ter elegido como prefeito um grupo de ditadores, e de ter feito da câmara de vereadores um antro de capangas do executivo. A você que em silêncio torna-se cúmplice das brutalidades cometidas contra a população pelos capatazes cretinos contratados de forma “legal”, nomeados cargos comissionados, que não passam de cães de guarda raivosos, que impedem os moradores desta cidade de se manifestarem, de pedirem explicações e de exigirem os seus direitos.

A você morador de Sarandi que ouviu o carro de som convocando a população para um ato público em frente à prefeitura de Sarandi, ou que recebeu em mãos um panfleto informativo, com o mesmo intuito de convocação, e simplesmente ignorou, ou se sentiu no direito de justificar-se das mais diversas maneiras para não fazer parte da luta por dignidade, pela devolução do dinheiro público desviado da educação, aquele que sai do teu bolso, pela dignidade dos professores municipais que vivem com cerca de 700 reais de salário, enquanto são desviados 400 mil reais da própria educação, pela valorização dos servidores públicos, por condições dignas na saúde de Sarandi, na UPA, pela transparência da administração pública, pela investigação dos vários casos de corrupção que estão no Ministério Público envolvendo o Ditador Carlos de Paula, inclusive denuncias como usar carro e motorista da prefeitura para transporte de materiais para construção de mansões particulares em Maringá, ou o contrato de um hospital em santa fé para beneficiar supostamente um cargo comissionado. Pelo fim de políticas clientelistas, com obras de campanha eleitoral, como o rebaixamento da iluminação pública, ou o asfalto de péssima qualidade que já vem se desmanchando com as ultimas chuvas. É preciso que você morador de Sarandi saiba que honestamente eu já não sei o que esperar de vocês, que parecem ainda não ter a dimensão da catástrofe que paira sobre nossas cabeças, e me questiono em que mundo vocês estão, de que material vocês são feitos?

Quantas pessoas ficaram na tranquilidade do seu lar nesta quarta feira dia seis de fevereiro? Quantas pessoas atarefadas com suas atividades domésticas estavam alheias ao que estava acontecendo no município de Sarandi?

É devastador o sentimento de revolta que estou sentindo, mas infelizmente não posso compartilhar com toda a população sarandiense este sentimento inquietante, que me causa invariavelmente dores físicas. A população parece não compartilhar da mesma indignação que senti hoje, por que eles não viveram o que vivi hoje, junto de um grupo de pessoas que se reuniu em frente à prefeitura no intuito de cobrar explicações e posicionamentos diante de tudo que já supracitado anteriormente.

Pois ei de relatar o que vi e o que vivi hoje, ao levantar o traseiro da cadeira e fazer aquilo que por muito tempo fizeram por mim, lutar, exigir os nossos direitos comuns. Em frente à prefeitura o que presenciei foi um circo dos horrores, de abominações políticas, frutos de um caráter duvidoso de um ser humano moldado na covardia, seres cretinos, ordinários, traiçoeiros que constituem o atual panorama político de ditadura e de perseguições intimidadoras na cidade. Brutamontes mandados e ordenados pela administração pública para coagir a população, para aterrorizar o movimento social, acompanhados da policia e da guarda municipal, a fim de criminalizar o movimento social, a fim de impedir e tolher os direitos fundamentais a dignidade de qualquer cidadão de se manifestar, de reivindicar seus direitos, ou até mesmo de ter livre acesso ao espaço público. Fomos impedidos de entrar na prefeitura por brutamontes que fazem a segurança do ditador Carlos de Paula e se travestem com uniforme de guarda municipal, eles se posicionaram na porta da prefeitura e em horário de expediente fomos impedidos de protocolar a carta de repúdio que levamos como parte do manifesto. Entidades como a Comissão dos Direitos Humanos, Associações de moradores foram desprezadas e ignoradas em seus direitos, foram desrespeitadas, junto a toda a população que discorda das práticas de corrupção.

Fomos achocalhados por Cargos de Confiança do prefeito, que em horário de expediente saíram de suas funções e somaram-se a guarda municipal para destruir o ato, fizeram isso com gritos e discursos alterados pró de Paula, ameaçavam e intimidavam ferozmente a população que se aglomerava na manifestação. Interromperam diversas vezes os discursos do manifesto, as falas de esclarecimentos a população sobre os acontecimentos, na tentativa de desviar o foco do ato para discussões inúteis, irrelevantes, com provocações, na tentativa de tirar a população do sério e desqualificar o ato que foi organizado, ordeiro e legitimo.

Eles defendem este governo autoritário e ditador com mais raça e mais vontade do que a própria população defende sua dignidade. A população deve ter esquecido o que significa dignidade. Faz muito tempo que ela não tem contato com o que caracteriza a dignidade, perdeu a referência, perdeu a educação.

Eu jamais vi alguém defender os direitos da população com tanto afinco e veemência como os cargos de confiança defenderam o ditador Carlos de Paula.

Eles definitivamente são capazes de tudo, são verdadeiros capatazes, e transbordam em cretinice e covardia. O ato foi tão organizado, que deixamos um carro guardando uma vaga, para quando o carro de som que auxiliaria a manifestação chegasse, pudéssemos estaciona-lo em local correto, legal. Quando os cães de guarda do ditador de Paula perceberam a estratégia de organização resolveram tomar mais algumas atitudes grotescas e repulsivas, nocivas ao direito de qualquer cidadão que vive numa democracia. Um dos cargos de confiança entrou no carro da prefeitura que estava estacionado em local proibido, em frente o portão de uma casa, e logo à frente a vaga que iríamos ocupar com o carro de som, ele deu ré sem sequer preocupar-se com as pessoas que poderiam estar atrás do carro covardemente com um único intuito, o de impedir que o carro de som estacionasse, saiu do carro rindo estupidamente como uma hiena fiel que cumpre o seu papel de subordinada a corrupção. Isso causou um tumulto que propositalmente tiraria o foco do ato, a policia que estava presente só observou, e se omitiu das atitudes criminosas dos capangas do ditador de Paula. Muitas testemunhas podem relatar este fato e confirmar as atrocidades cometidas por estes indivíduos nojentos, nauseantes que sobrevivem de mal caratismo e de dinheiro fácil que vem dos impostos da população. A prefeitura estava tomada por eles, eles estavam nas janelas, nas portas, gritavam, riam da cara dos manifestantes, desqualificavam o movimento, ameaçavam de forma muitas vezes velada a população, intimidaram, fizeram pouco caso, defenderam a administração, e são cúmplices da ditadura, que caça todo e qualquer um que ouse se levantar contra este governo que se instalou desde a cassação do Milton Martini em que o ditador de Paula assumiu e usou a maquina pública em prol da sua permanência no poder.

Se houvesse por parte dos professores municipais este tipo de defesa em prol da educação, da saúde, da segurança e da dignidade do povo, ou pelo reajuste dos seus salários defasados de 700 reais, talvez tivesse mais gente no ato. No entanto talvez seja este o problema, se acaso os professores tivessem os mesmos benefícios financeiros que os cargos de confiança têm, talvez não fossem tão desmotivados e defendessem com unhas e dentes seus direitos, como os cargos de confiança do ditador de Paula o defendem.

A prefeitura esta tomada por uma infecção grave que mata paulatinamente a dignidade do povo de Sarandi. Eis que só o próprio povo tem o poder de mudar esta situação, e somente coletivamente, participando dos atos, das manifestações, ajudando a organizar o movimento, e cobrando explicações. Somente se mantendo informada, e informando num esquema continuo, para a construção da indignação e do senso de justiça da grande maioria, desvelando estes tempos obscuros em que estamos vivendo voltaremos a luz da verdadeira democracia e liberdade de expressão. Somente com a participação popular no movimento, cobrando a câmara de vereadores por investigação do executivo, e posicionamentos firmes diante de todo esse panorama caótico é que vamos mostrar que somos mais do que meia dúzia de cães raivosos. Os capangas e capatazes não podem andar livres por ai, comendo e bebendo, morando e comprando as suas custas. Eles são criminosos em potencial, são perigosos, e por isso precisamos de absolutamente todos que se indignem com a injustiça. Não basta se indignar em casa, mentalmente, dando apoio moral, precisamos de corpo presente em busca de novos tempos para esta cidade.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pedras na janela

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...