visualizações de página

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

OS REIS E A PERFEIÇÃO.


Minha vida passageira, minha canta Cantareira
Passarinho passa areia, lado ninho a ladeira
Lava roupa lavadeira, roupa lava vida inteira
Borboleta, bobo, teia, da aranha sanfoneira
Macho marchará na rua, dobra esquina meia lua
Sol lá tente novamente, dó ré mi facilitou
Foi gol quente, incendeia, Cava lei, depois rodeia
Figura antes, e depois, nunca pr’outra agonizou
Sempre as margens, respirando um resto de vento
Caro magro, vago, simulacro ao relento
Diz, pressente, displicente, diz contente...
Conta comigo, conta conto, dá desconto
Rei ti ciências de um parágrafo mudo, ausente.
Sair e dar a mão no Irã, diz: crime, nação.
Sair e dar a mão no Irã é discriminação, na mão, na mão.
É descaminho contra árido da fronteira, é de volta
É de contra, mão sem ato, sem rumo
É daqui deste lugar, sem par, que sumo
Aos olhos dos eleitos, perfeitos, dessa gente que não é gente
Rei invente! Rei entenda! Rei suscite a mim que sou eu.
Não seu, mas nas tuas mãos, no teu Rei, nado, me afogo.
Diz: Caracterizado de homem como um, como outro.
Rei levante! Irrelevante talvez
Para quem dentro da saga cidade, ex – cura, esmurra
Como quem a ponta, fura, cega, manipula
Mãe pula meus desejos e minha alma
Fama, ilha, cortejo que não se dissipa
Família: bocejo de quem discrimina.
Bananal, banal, Brasil, carnaval.
No próprio ventre o gargarejo sufocado, amor to enterrado
Diz crente, mas não acredita ao menos no que diz
Diz tudo como quem diz da boca pra fora.
Condena! Diz: crime, nação.
Rei integrado, Reificado com toda essa perfeição.
Abatido, e não representado, consumido
Mercado ria, ria da nossa cara, ri de mim que te consumo, que te desejo
Passaria passarinho, antes da morte o beijo, antes do sangue, o vinho.
Castra a ação, antes de ser, interrompe o amor.
A base de mordidas, pauladas, agressões, trans- gressões, trans-sexuais.
Diz crente novamente, aparta o beijo violento na televisão
Se diverte nas ruas, o reis de paus na mão.






segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Espasmos de uma noite só.


Eu só queria ter um pouco de paz, eu só queria não ser nada demais
Eu só queria não olhar pra você...
E sentir, que não posso ser mais nada além
Só não queria te ver nos jornais
Te encontrar nas redes sociais
Olhar seus álbuns, suas fotos, retratos
Que só me lembram meus erros, meus traços
Meu jeito teu, de ser, sem contar com ninguém
Sem sonhar, sem ser, aquilo que eu sempre quis

Te ver feliz não é nada demais
O que dói mesmo é o que você deixou pra trás
Eu sei que sonho só se for assim
Desse seu jeito de ser tão feliz
Que me parece tão errado, é o seu jeito interessado
Interessante às vezes ser ruim
Com esse jeito de ser todo clean
Meninos sofrem por amar demais
Mas as meninas sempre sofrem mais

E agora eu sei que o erro foi meu
Por que acreditei que era verdade o dia que te conheci
E agora eu sei que tudo não passou
De um momento em glória, sem amor
Desconstruído na contradição
Dos nossos passos, ilusão
Mas agora vejo o quanto eu cresci
Mesmo com o gosto amargo de ser deixado assim.

Da janela do meu quarto, das verdades que eu digo
E dos perigos, sem amigos pra contar
E dos vestígios, as lembranças sem parar
Se dissolvem como o álcool
Ou o teco no cigarro.

Talvez no escuro do meu labirinto
Da morte do meu signo
Eu seja esquecido
E nunca passe a mesma dor
E nunca ouça alguém dizer, que é amor.

Talvez, sem lápide, sem brinco
Eu seja claro enquanto digo
Amores já não valem mais a pena
Amigos são destinos, são escolhas, é dilema
É problema, é cinema, mas nem sempre tem final feliz.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

NÃO VOU ACEITAR SUAS OPÇÕES RELIGIOSAS!


Para quem acompanha o Blog já deve ter visto esse texto alguns posts atrás, contudo, em virtude de uma manifestação promovida pelos Livres Pensadores resolvi repostar remetendo a postagem coletiva em defesa do Estado Laico, se avolumando nesta justa manifestação de quem preza pela liberdade de TODAS as manifestações religiosas, mas antes de tudo, pela não discriminação que acontece e se justifica pela liberdade de expressão dos parlamentares que desejam professar suas religiões no Congresso Nacional.
Caros ungidos no óleo extraído do sangue do redentor! Crentes infames na salvação da alma, na vida após a morte, e na redenção dos pecados. Julgadores das vidas alheias, esperando o julgamento final, contando com o ovo na cloaca da galinha, como se já estivessem garantidos no reino fantasioso dos céus. Caros pastores dos horrores, do escambo religioso, da troca da opinião e da razão, por uma eternidade celestial e imune ao fogo do inferno. Caros covardes cristãos, que se defecam por conta de um diabo inventado, e que acham que fé tem a ver com ler a bíblia, rezar uma vez por dia, e pedir muito a um ser superior que não os deixe na mão na hora do arrebatamento. Caros defensores da palavra divina escrita por meros cagões que possivelmente são tão pecadores quanto você, o que é normal, já que somos todos pecadores, buscando a evolução do espírito, para a aceitação santificada, idealizada, ungida, benzida pelos dedos grandes do iluminado, não é do sol que eu estou falando.
Até aqui, a maioria dos cristãos de boa índole, e dos evangélicos que amam todo mundo sem diferenças, e querem salvar todas as almas mundanas que fazem sexo por prazer e não para reprodução, já devem ter tido uma sincope, já devem ter me julgado e condenado em nome do senhor. Pois vejam que interessante como é normal ouvir isso da boca dos ungidos no óleo santo, que em nome do senhor, isso, em nome do senhor aquilo, já notaram? Que em nome do senhor muita gente foi cruelmente injustiçada e assassinada, e não, não eram os perseguidos por seguirem a palavra de Deus, eram os perseguidos pelos seguidores dessa palavra tão mal interpretada, que se alastram como erva daninha pelos quatro cantos do mundo, pregando, insultando a inteligência, e desprezando a racionalidade. Sabem por que Deus tem todas as respostas? Por que nós, seres humanos, não as temos. Assim atribuir o que não se pode responder a uma entidade superior, baseado nos simples fato de ser ignorante, e não acreditar que só o homem é capaz de transformar o mundo, isso meus caros, é um prato cheio para os que fingem acreditar, fingem tão bem que gritam aos quatro cantos, fingem tão bem, que a grande massa, orientada, manipulada e obediente, para não ter o trabalho de se questionar ou ter opinião própria, o que exige um mínimo de cérebro, preferem seguir a onda religiosa do momento, vivendo no mundo do maniqueísmo, do moralismo, e do Deus dos conformados, que explica claramente que o destino está tão traçado, que os caminhos só te levam a um único lugar, continuar sendo o que você é, um nada ungido esperando salvação, fazendo voto de pobreza, esperando em Cristo ungido que seja recompensado no final, bem lá no final. Ora, meus caros, aqui vos fala não um ateu, não um agnóstico, muito menos um evangélico ungido. Aqui vos fala um ser humano que culturalmente se diz católico, batizado, crismado, catequizado, de família inteira católica, alguns praticantes, outros nem tanto, aqui vos fala alguém que durante anos recebeu a informação de que no fim, tudo vai dar certo, que Deus escreve certo por linhas tortas, que o sofrer de hoje será recompensado por meu voto de pobreza, por minhas boas ações, e pelo dízimo ofertado na igreja ungida. Contudo, aqui também vos fala, alguém que questionou, que leu, que abriu a mente, que sentiu-se a vontade para dizer não ao dogmatismo e ao fundamentalismo, alguém que não aceita que a resposta seja um mistério, sendo o homem tão capaz, tão inteligente a ponto de criar coisas inacreditáveis.
Discutir religião com alguém que não se questiona, não reflete, e foge da racionalidade, é esmurrar uma faca afiada repetidamente, é inútil. Pedir que estes leiam este texto, e concordem, ou simplesmente reflitam, é tão inútil quanto, eu não os recrimino por isso, afinal de contas, eu sei bem como é ler e ouvir o que uma parcela ungida em Cristo propaga por ai, quase um vômito, sei bem como é não conseguir ler até o final tanto equivoco, tanta indução ao erro, e tanta má fé com uma massa que não costuma pensar por si só. Sinto e compartilho das mesmas náuseas que sentem ao me ouvir dizendo tantas asneiras, levantando tantas questões, que para vocês, resume-se em mentiras e verdades, em bem e mal, mas para mim, não passa de intolerância aos que optaram, por que veja bem, religião sim é uma OPÇÃO, apesar de muitas vezes, principalmente na igreja católica, tenha-se o costume de batizar antes mesmo que o individuo se dê conta, do que se trata a tal religião, e não venham me dizer que a comunhão, e a crisma são uma possibilidade de se decidir se é isso mesmo que vai seguir, quem depois de ouvir que vai para o fogo do inferno caso não siga os dogmas da igreja, vai mudar de idéia? Quem quer decepcionar toda uma família por não acreditar nas mesmas coisas? Meus caros existem uma máquina de fazer crente (evangélicos), uma máquina de fazer católicos, e o ritmo é frenético, não dá tempo de perguntar se você quer ou não ser ungido, só dá tempo de julgar, condenar, e queimar no fogo do inferno.
Neste momento, muitos devem estar afoitos em refutar o que estão lendo, vão em frente, somos todos capazes de opinar, de juntar argumentos, mas, por favor, não me venham com versículos, nem frases prontas, não tentem me convencer que falta Deus na minha vida, por que se ele realmente existe, é bom que ele seja realmente muito generoso, e não os julgue como estão acostumados a fazer com os outros.
É preciso meus caros, que vocês entendam, que por mim, o Estado nem existiria, por que ele não me representa, ele representa as idéias burguesas, e esta a favor dela. É preciso que entendam meus caros, que o capitalismo se constitui e se mantém pelas diferenças e pelas desigualdades, e nele mesmo se encontra a incitação para a discriminação, tão estratégico, tão manipulativo, percebam o quanto as minorias, o quanto os diferentes grupos se digladiam, se insultam, travam brigas homéricas, um pequeno grupo nos governa, e reina sob a guerra anunciada, premeditada, inventada, tão falsa quanto a moral que tanto se prega, tão falsa quanto o modelo de família que você acredita ser o único, tão falsa quanto a tua covardia em aceitar que na eternidade seus problemas estarão resolvidos, por enquanto, só resta sentar e esperar, ou ajoelhar, e rezar.
Assim sendo, meus caros, o Estado que eu não quero, e que é laico, sim LAICO, acreditem se quiser, e é preciso que saibam disso, e compreendam o motivo de ser laico. Não é por que o Estado não precisa de Deus ungido, ou por que o Estado é coisa do demônio, se bem que... Enfim, o Estado é laico justamente para proteger as diversas manifestações religiosas, não permitindo que de acordo com os governantes que ocupem o poder, uma religião suprima todas as outras. Imagine você, se ao invés da constituição, a bíblia, ou o alcorão, ou outros dogmas orientassem a organização da vida social? Deixemos o dogma do Estado, a constituição, nos orientar, ou padeceremos a mercê da guerra religiosa a nos desorientar? 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...