visualizações de página

segunda-feira, 30 de março de 2009

O presente.


Tá eu não fui no show. Isso é péssimo.
Mas tá, eu tenho uma amiga de ouro que foi.
Ela fez coisas que PQP me deixaram muito feliz.
Por exemplo: Ligar pra minha casa pra eu ouvir um tico do show
e isso bem na hora que toca " só enquanto eu respirar"- O anjo mais velho-
Caracas! Foi sem noção, eu pasmei.
Ela tava eufórica, eu ouvia berros. Tava empolgante aquilo.
Foi um bom tempo ali sentado no sofá da sala, enaquanto ela tava numa cadeira
no Teatro Marista. Mas eu pude ouvir e sentir o clima graças a amizade dela.
E depois de tudo isso. Crê?
ela me compro um cd e ainda pediu que autografasse para mim. Crê?
Isso é o ápiçe.
Muito obrigado mesmo Taty. De coração.

sábado, 28 de março de 2009

Eu posso explicar


(legião urbana) Os anjos


Hoje não dá
Hoje não dá
Não sei mais o que dizer
E nem o que pensar
Hoje não dá
Hoje não dá
A maldade humana agora não tem nome
Hoje não dá
Pegue duas medidas de estupidez
Junte trinta e quatro partes de mentira
Coloque tudo numa forma
Untada previamente
Com promessas não cumpridas
Adicione a seguir o ódio e a inveja
As dez colheres cheias de burrice
Mexa tudo e misture bem
E não se esqueça: antes de levar ao forno
Temperar com essência de espirito de porco,
Duas xícaras de indiferença
E um tablete e meio de preguiça
Hoje não dá
Hoje não dá
Está um dia tão bonito lá fora
E eu quero brincar

Mas hoje não dá
Hoje não dá
Vou consertar a minha asa quebrada
E descansar
Gostaria de não saber destes crimes atrozes
É todo dia agora e o que vamos fazer?
Quero voar prá bem longe
mas hoje não dá
Não sei o que pensar e nem o que dizer
Só nos sobrou do amor
A falta que ficou


-Eu realmente fico cada dia mais cansado. Não diga que eu complico demais, é que hoje realmente não dá.

-Você deveria cultivar melhor as pessoas que te amam.

-Pode ser que eu não saiba como cultivar, mas te garanto, ainda sim eu as amo.

segunda-feira, 23 de março de 2009

Catárse


Eu quero gritar. Me esguelar. Romper todas as barreiras do som. Te mostra o quanto eu estou feliz com tudo isso. Acho que eu nunca tive vontade de chorar de alegria. Nunca meus olhos encheram de lágrimas por isso. Mas hoje. Hoje é tão diferente. Quando que eu poderia imaginar que seria assim, que eu conviveria perto de tudo aquilo que eu sempre sonhei. Não, eu não tenho tudo, mas boa parte do que eu preciso eu já consigo enxergar. Antes eu me desesperava por medo de nunca viver isso. Hoje eu tenho medo de perder tudo isso. De não ouvir aquela música e me inspirar com essa amizade que me enche de orgulho. Eu quero gritar pra todo mundo: VOCÊS ME FAZEM MUITO FELIZ! Eu quero ter sempre esta transparência dentro de nós, toda a alegria, e ter sempre a certeza que mais do que posse um do outro, nós somos e sempre seremos algo como uma entidade, como uma coisa só, sem distinções. Eu faço parte disso. E quantas pessoas gostariam de estar no meu lugar. Morram de inveja! Mas saiba que todos podem partilhar disso, por que meu amigo, eu emano descaradamente em meus sorrisos toda a energia e a possibilidade de se ser feliz. De se estar feliz. Não. Gritar é muito pouco. Eu quero escrever na avenida principal. Na asa de um avião. Nas copas das árvores. No arranha céu. Quero que um maria fumaça desenhe no céu. Quero que cantem nas rádios a música que embala toda essa explosão de sentimento. Toda essa dependência que eu tenho de vocês. Toda a ansiedade de nos encontrarmos. Vamos nos abraçar coletivamente? Vamos embora para o mundo? Vamos nos sentir uma só? Grita comigo...conte comigo...






E hoje tudo o que eu sinto, é o que eu nunca pensei em sentir...


e se o chicote da vida me destrair, me puxem para perto de vocês. Só assim eu estarei seguro.




Bastidores:


Eu cheguei em casa depois da reunião do projeto, doido pra ouvir uma song, "I'm yours " tava no gatilho, e eu me senti tão tocado, por que eu lembrei que eu amo vocês. E deu uma vontade muito grande de me declarar.
Brigadão gente!

sábado, 21 de março de 2009

Ócios do oficío.


Quando foi que eu deixei de ter boas idéias? Eu ainda lembro de que pintava meu All star "mulambento" de mil cores só pelo prazer de pintar e sair na rua com algo exclusivamente criado por mim. Quem teria um all star cor de cobre pelo amor de Deus?!Omnilateralidade é privilégio de poucos. Mas o duro é ser omnilateral e não ter foco algum. Eu por exemplo já pensei ter talento pra compor músicas. Criar modelos de roupas "supermegapowerfashions". Eu que pensei que pudesse ser um pintor de quadros de artes abstratas (diga-se de passagem isso me parecia o mais simples). Eu que pensei que no auge da minha criatividade seria o inventor de algo mirabolantemente útil. Pensei até que ficaria rico e famoso um dia só por ficar ali, criando, compondo. Por isso o ócio de hoje é bem melhor que o ócio da grécia antiga, afinal com a minha corzinha de pele, eu no máximo roeria o "ócio" que sobrasse na senzala. Hoje por mais mal visto que seja, o óçio não influência e não determina mais quem vai criar, ou quem tem tempo para isso, de quem vai produzir "capialmente" o que todos, escute bem, TODOS, necessitam para sobreviver. Eu poderia dizer que este momento de criação de um texto é um momento de ócio? Sinceramente? Isso as vezes se confunde na minha pequena cabeçinha acéfala. Quando eu penso que isso não vai ser comercializado eu defino de ócio, contúdo, eu adoraria ganhar dinheiro fazendo isso. Esta ai! a coisificação das coisas. A coisificação das pessoas. A inversão de valores. Quando quem determina a relação não sou nem eu nem mesmo o leitor, mas sim a vontade de obter-se algo em troca. Voltando aos meus momenots ócios, que hoje em dia estão bem atrelados aos meus momentos de DES-ócio, ou seja, quem determina mais uma vez, o significado e a prática independente do mesmo não sou eu. As vezes eu penso que eu queria ser trilhardário, outras vezes eu queria que ninguém fosse. Ou melhor que o dinheiro não existisse. Ele ou a busca por ele me deixa intensamente irritado. Eu seria capaz de criar qualquer bobagem só pelo prazer de se inovar. Porém eu tenho que usar meu "tempo livre" procurando uma forma de como ganhar o "papelzinho que tudo compra", e como compra! Em um mundo onde ou se é rico, ou se é uma mulher altamente gostosa e bem dotada de bunda e peitos, eu deliberadamente estou na área de risco. Eu até tenho peitos ( e eles balançam tio), mas eu tenho algo a mais, e entre outrs diferenças, o mercado ainda não acomodou certas disfunções hormonais, sexuais, ou burrosexuais. Aí eles olham pra você e dizem: mas qual a graça no que tu faz? Eu respondo. Nenhuma, só estava no meu, escute bem. no MEU momento ócio. É somente a mim que eu devo agradar. Mas isso são ócios do oficío, por que ócio mesmo só os greco romanos de muito tempo atrás.

sexta-feira, 13 de março de 2009

Morango, Uva, Banana, foi a festa da Juliana

Da série datas comemorativas que alguns não se lembram, mas comemoram.
E pra quem ia passar o aniversário no "Ody parque aquático" com os coleguinhas, se "fondiu". Mais precisamente? Vamos lá! Ju parçeira pra todas as horas, inclusive para faculdade, ligou convidando para seu aniversário, a questão era: o que fazer?


-Rôô!! que agente faz? o que você acha que seria bacana? Tomar umas beer de tarde?


-Ain Ju eu não sei (eu nunca sei de nada)


-(silêncio)


-"cri cri"


- Rôô me ajuda! Eu não faço idéia do que fazer. Churrasco dá muito trabalho. Almoço também.

(mas caramba! e quer fazer o que então?)


-Ju, eu sinceramente não estou com um pingo de criatividade, e eu sei que você adora inovar.


-Sabe o que eu pensei? (Lá vem bomba!)Minha madrinha sabe e tem receita de Fondue, o que você acha?


-Acho que ia ser MARAAA! (vontade de me livrar dessa indecisão logo)


Ficou combinado assim então, alguém ia levar morangos, outro uva, e outro chocolate, e blábláblá...

Eu fiquei responsável pela banana ( fico pensando se isso foi alguma indireta), mas como banana é uma fruta que a maioria aprova, nem liguei.

Reuniãozinha intima, gente alegre, "festa estranha com gente esquisita", mas todo mundo gente boa! Foi um dia(de noite), que valeu a pena, teve altos papos, vários bafóns, que só por Deus! deveria ter mais vezes.

O fondue tava MARA, tinha de chocolate e de queijo, ps: antes da Ju jogar água quente dentro tava bom sim.

A Michele disse coisas gozadas, a Ju Marx criou mistérios, ela adora apimentar o que já ta fervendo. Safada! A Solange sempre calma e hilária, não deixa passar nada sem uma piadinha infame. O Menegon, bom melhor nem comentar, depois do creme que a Solange deu para Ju.

Foi um dos primeiros encontros antes de começar as aulas.







Prestéão! Tava bondimais!
Em meio a tudo isso um video foi gravado. A princípio era uma homenagem a Ju, e foi. Apesar dos apêndices, e da louça extremamente suja. Assolan e bombril seriam bem úteis!
video

sexta-feira, 6 de março de 2009

Pensamento marginal


Senti isso ontem sobre duas rodas, de fronte ao vento contra o rosto, secando as lágrimas antes mesmo que saltassem dos olhos. Pensei em todas as possibilidades de nunca mais ter que viver outra noite assim. As possibilidades eram extremamente negras. Descreve-las aqui assustaria o leitor ( embora não sejam muitos). O que me faz sentir seria talvez o não sentir-se parte de absolutamente nada. Eu não era apenas parte do cenário, porém foi assim o trato. Talvez tenha se ouvido pouco da minha voz, mas não foi porque eu não tinha o que dizer. Nem parte do "bolinha", nem parte do " luluzinha", talvez em alguma dimensão inesistente e pouco importante para os degenerados donos da alta sociabilidade. Badalados. Protegidos. Influêntes. Simpáticos. Exageradamente bem sucedidos. Bem que tentei alçar voô. Mas um leão não voa se não houver platéia. O rei não é rei, se não houver reinado. Não, eu não estou tentando tornar obscuro o que eu sinto. Nem colocar névoa sobre o ódio que me encendeia. Já basta as complicações rotineiras. Pra quem dizer isso? blogs foram muito bem pensados. Mil vezes melhor que um padre. Quem quer saber do meu pensamento podre e morto? posicionem-se. Não, melhor não. Provavelmente seria uma risada sarcástica, ou simplesmente: você esta errado. Nunca soube como fingir estar feliz. Talvez porque nunca tenha sido efetivamente. A repulsa e a indiferença sempre me fazem sentir essa dor. Talvez amanhã ela passe, mas eu sei que sempre retorna. Já senti muito medo de voltar as mesmas noites. De estar sozinho, de chegar sozinho, e descobrir sozinho. De sorrir sozinho, chorar sozinho. Não me venha com seu excesso de otimismo, dizendo que tudo vai dar certo, que vai melhorar ou que a vida é assim mesmo. Isso me dá nauseas. Pensei que fosse melhor que isso. Não me canse com sua empolgação em fazer qualquer coisa. Mas me iluda se importando comigo de vez em quando. E se houver mais uma noite de multidão de costas pra mim. Possibilidades serão bem vindas.

quinta-feira, 5 de março de 2009

Lhe peço...


Senhor não me arguas no teu furor,

nem me castigues na tua ira

tem miseriocórdia de mim senhor

porque sou enfermo; sara-me Senhor

porque os meus ossos estremeceram...


Estou esgotado a força de gemer

lavarei o meu leito com lágrimas todas

as noites, regarei com elas o lugar

do meu repouso...


Envelheçi no meio de todos os meus inimigos.
_______________________________________

segunda-feira, 2 de março de 2009

Trote violento?

Eitaa Rigon!! cheguei primeiro!








No primeiro dia de aula na Universidade Estadual de Maringá, mais do que farinha, tinta e ovos, quem estava nas proximidades da reitoria da Uem, esquina com a avenida colombo em torno das dez horas da noite( e não eram poucas pessoas) foram testemunhas oculares de um curioso acidente. Um carro prata vindo da direção do centro de Maringá pela R. Prof. Lauro Eduardo Werneck colidiu com uma árvore no canteiro central, quem estava aos arredores tomou um grande susto pois o impacto causou um estrondo. O mais curioso é que do carro quatro elementos sairam ilesos correndo para longe, um deles com uma garrafa de bebida alcoólica provavelmente tentando escapar de um flagrante da policía ( pelo menos isso foi o que se cogitou no momento do acidente). Eu estava com alguns amigos em uma lanchonete na esquina e posso dizer que parecia só mais um trote, tamanha foi a bizarrisse. A pergunta agora é: quem abandonaria o próprio carro e sairia correndo? Será que o problema são as árvores de Maringá?






Afinal de contas parece até que tá na moda bater de carro em árvores, visto que esse não foi o primeiro acidente. Pois é, se for beber não dirija, e se tiver árvore azar o seu!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...