visualizações de página

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Só um toque

Minha última postagem no "pimentas nos meus olhos é refresco" foi repleta de informações equivocadas destacadas por uma visitante do blog"Manguita" que também é fanzona da trupe romântica. Hoje não vou dar informação nenhuma, se quiserem sabe sobre a banda pesquisem, tenham autonomia.

Eu acho uma pena que as pessoas não saibam curtir quem fala de amor, quem fala com o coração. Quem toca pra dizer, pra desabafar, pra chorar. É uma pena que não se ouça em cada esquina pessoas falando de amor, cantarolando melodias de amor e de amizade. É uma pena serem tão poucos. Se todos ouvissem mais, sentissem mais e consumissem menos, tivessem mais saudade. Eu tenho medo de que o amor seja extinto de vez. Ou ainda de que as pessoas se confundam e confundam este sentimento com qualquer outro que não o seja.

Sabe eu adoro quando eu saio por ai cantarolando Pimentas e alguém continua a música. Isso faz meus olhos brilharem concerteza. Oh paixão! isso abre minha guarda, , me desvirtua completamente. O problema é que isso é incrivelmente raro.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Nunca mais


Saudade do abraço que já não existe mais. O sorriso que alegra-se em fotos,

mas não alegra-se em risos. O tormento da noite fria sem mãe, sem cobertor.

O choro é interno, é difuso em lembranças. É o esforço pra não esqueçer do rosto...

mas é o tentar esqueçer quando tudo esta frio e escuro. É o esperar a entrada de sempre pela porta da sala, esperar pela bronca segura, sentado no cais da solidão...

É estar rodeado de irmãos e mesmo assim sentir tanta falta, pois em cada um se estampa

a imagem do que se perdeu, do que se foi por entre os dedos. É a cada fim de tarde

saber que ela não volta mais... que o sol vai se por, e as lágrimas vão esfriar sem suas mãos quentes para secá-las. É cortar os pulsos todos os dias em pensamento e desejar estar longe daqui e mais próximo de quem te ama de verdade.

Cada verão nos distância mais e mais, como se fosse uma despedida eterna, sem lenços, sem risos, sem vozes.

Imaginar acordar com seus gritos dizendo que já passou da hora, ou te ouvir lá fora cantarolando

tua canção predileta. Tudo isso que sempre me fez tão seguro de mim mesmo. Saber que estava lá, e quando eu não soubesse o caminho, saber que me guiaria. Tão diferente de acordar no vázio dos comodos, sem a vida, sem a tua vida.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

À primeira vista


Tento me fazer sempre simpático, sorridente..


mas acabo sempre enfiando os pés pelas mãos.


normalmente eu falo a coisa errada na hora errada


e pouco é importante a minha opnião...


porém o meu silêncio também me pune com a indiferença...


Acabo me saindo então antipático, orgulhoso e de poucos amigos...


ou talvez seja minha cara amassada que assuste tanto.


Eu juro que tento me olhar no espelho e encontrar o que repele tanto a afeição por mim


Já até tentei usar de técnicas de como ser amigável e simpático no primeiro encontro


É fato que eu sei das técnicas. É fato que não consigo necessariamente por em prática.


As vezes me sinto quase como um héctoplasma antisocial, um fantasma pairando sobre


a popularidade alheia, tal qual parece tão peculiar, e tão distante.


Existem fatores negativos inerentes a minha pessoa das quais não pude escapar,


como cabelo ruin, cara de travesti espancado a tamancadas, perninhas tortinhas, corzinha escurinha, barriga grandinha entre outras coisas. Mas tem muita gente com caracteristicas bem mais estigmatizadas com uma simpátia digna de ser miss. O que faz cair por terra minhas


poucas justificativas. Resta então o meu temperamento um tanto quanto sombrio, com um humor negro não muito sagaz, uma pouca capacidade de dizer coisas que sejam relevantes


e que agradem o grande público, e o pequeno também. Realmente no primeiro momento eu não sei me portar muito bem, e por mais que tente passar uma boa imagem, ou que não tente absolutamente nada, o fato é que o que fica é uma péssima impressão sobre mim.


Sobre meus conceitos, sobre meus desejos, sobre tudo.


Provavelmente um dia se você superou o primeiro impacto comigo, eu ouvirei de ti o quanto odiou me conheçer à primeira vista.
Eu também.

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Coisa

Tinha tanta coisa,
tinha dinheiro, tinha compromisso
tinha que dar aula, tinha que limpar a casa
tinha camiseta, tinha mordomia
tinha trabalho, tinha amigos
tinha amores, tinha brigas
tinha crianças, tinha sabores
tinha vento.

Tinha tanta coisa
tinha alegria, tinha comida
tinha viagem, tinha tênis
tinha calçinha
tinha medo, tinha galinha
Tinha tanta coisa
tinha estrada, tinha balada
tinha remédio, tinha melão
tinha café, tinha colher
tinha marido, tinha mulher
Tinha tanta coisa sem saber por que
Tinha tanta coisa
pelo prazer de ter
tinha tanta coisa
mas não era nada
O homem virou coisa
coisa humanizada.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...