visualizações de página

quarta-feira, 25 de maio de 2011

A "Brogodó" não é ficção.

Como lidar com uma sociedade civil decrépita e imersa em seus dogmatismos mais nojentos, quando esta se baseia na velha escola, no coronelismo dos sertões, mas sem os heróis do cangaço? Como dormir e acordar todos os dias sendo individuo humano do polegar opositor, com raciocínio lógico diferente dos animais irracionais no país do fundamentalismo religioso, das piadas congressistas, da política do “uma mão lava a outra”, e das chantagens absurdas que ninguém mais faz questão de esconder? Como lutar contra o aval a intolerância e corrupção de uma sociedade sem escrúpulos, egoísta, traiçoeira e covarde, que não admite seus preconceitos, e é capaz de matar em nome de um Deus, e nem se quer levam a sério os dez mandamentos sagrados de sua religião? Como não se decepcionar diariamente com uma sociedade tão vazia de sensatez, de tato, de dignidade, de humanidade, de igualdade?
Essa gente prefere as crianças mortas, acuadas, vilipendiadas, apontadas e condenadas nas escolas, nas ruas, e em suas próprias casas, em nome de um Deus sem educação, sem amor, sem compaixão, sem verdade. Estamos à mercê do Deus do cinismo, da covardia, da violência, da miséria humana. É o Deus às avessas. Que Deus é esse que eu nunca conheci? Mas ouvi falar, que em seu nome, muito sangue foi derramado em vão, muitos inocentes morreram, por mero capricho do coronelismo, da burguesia, do erudito, da alta sociedade, das diferenças.
Hoje eu estou insuportavelmente indignado, de dividir o mesmo espaço que os deputados que votaram a favor da nova emenda do código florestal, e de dividir o mesmo espaço que uma penca de deputados que fazem manha como se fossem bebês, com chantagens absurdamente inaceitáveis para um ambiente pautado na ética e no respeito a população. Mas oras, isso seria pedir demais não é mesmo? Ética de deputados? Não seria não! Isso é o mínimo que deveríamos exigir, mas onde nós temos voz nesse país de araque? No twitter disputando espaço com a sociedade civil despolitizada, encalacrada em suas verdades imutáveis, em seus paradigmas insossos e nauseantes? Deixa-me perplexo que nesse amontoado de trogloditas que habitam este país que mais parece com a cidadezinha fictícia da novela das seis chamada “Brogodó”, não tenha um rei do cangaço, que faça com as próprias mãos a justiça verdadeira, se assim não for, morrem somente os inocentes, vitimados pela violência fruto dos nossos algozes suplantados no governo, com o aval da própria sociedade que sofre as dores do parto da CNBB, do Jair Bolsonaro, do Palocci, do Sarney, Aldo Rebelo, e uma lista enorme de descerebrados que representam outros tantos, “Brogodó” a fora, digo, Brasil a fora. CHEGA! COMCLAMO O CAPITÃO HERCULANO PARA DAR FIM A ESSE CONGRESSO DE MERDA!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pedras na janela

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...