visualizações de página

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Verdadeira ilha




















Quem sabe se as horas passassem devagar

Talvez se o tempo voltasse atrás
Ou até mesmo se as coisas fossem como eram
Eu não voltei para ficar,
Mas estas são as flores que regam
Que carregam e levam
Distantes do teu seio clava forte
Homem sem sorte esperança de morte
Não desanime agora
Todo tempo, toda hora é hora.
O que você me diz é o que eu sempre quis
Mas não há mais o que mudar
Você não volta nem quer voltar

Sigo em frente, eu perco o rumo, eu quase sumo
Sem saber o que fazer, sem saber o que fazer
To num beco sem saída, peço ajuda, perco a vida,
Que vida? Que vida?

E o que satisfaz é a relação amor e paz
Que você tem com os seus filhos
Que são verdadeiras ilhas
Que seguem as trilhas dos jardins
Que tem as flores que nos levam
Sempre as dores não têm amores

Momentos felizes, rápidos, invisíveis
São momentos em que você se lembra como foi
Momentos que param e marcam, horríveis!
Você já sabe como é.

É o acaso do acaso, o descaso do descaso
Um abraço, mais um passo no espaço
E você é quem? Você é quem?
Mas ta tudo bem, com você também
Mas você é quem? Quem?
Eu sou uma ilha cercada de nada
Você é quem?
Eu sou uma ilha rodeada de água
E você é quem?
Eu sou uma ilha vazia e gelada
E você é quem?
Eu sou uma ilha pequena, isolada
E você é quem?
Ilha verdadeira e abandonada
Por você também.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pedras na janela

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...