visualizações de página

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Adrenalina

Eu sou a adrenalina
O próprio batimento acelerado
A insegurança e a instabilidade
O medo e a ansiedade
Eu sou a sensação da cocaína
Da vodka e do baseado
O prêmio nunca alcançado
Eu sou o ápice do gozo
A queda e a ascensão
Eu sou um risco, um animal arisco
Eu sou oito a oitenta
Fogo na venta
A própria pimenta
Eu sou a água gelada que banha teu corpo
E causa arrepio
Eu sou o rato acuado, o gato escaldado
Primata arredio
Eu sou o gume da faca
O alto da torre e o desequilíbrio
Eu sou o frio na barriga
Coração na boca e o nó na garganta
Sou eu o ranger de dentes
E o roer de unhas
E as pernas inquietas
Eu sou o olhar vazio, mas cheio de lágrimas
O segredo sombrio e a bala das armas
Eu sou correnteza no rio
Susto e calafrio
Sou a queda da água
Eu sou a descida súbita
Troféu de chegada
Amor de balada
Eu sou o vento que passa
A respiração ofegante
A taça de vidro
Suor torturante
Perigo constante
A própria adrenalina na pele de menina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pedras na janela

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...