visualizações de página

terça-feira, 31 de março de 2015

SÃO MUITOS DIREITOS HUMANOS!


O problema na sociedade atual, é o excesso de direitos.
Nunca se falou tanto em racismo,
Nunca se falou tanto em machismo,
Nunca se falou tanto em homofobia e transfobia,
Nunca se falou tanto em índios,
Nunca se falou tanto em gente sem-terra e sem teto,
Nunca se falou tanto em bullying,
Nunca se falou tanto em direitos da criança e do adolescente,
Nunca se falou tanto de deficientes físicos e mentais,
Nunca houveram tantas feministas,
Nunca houveram tantos gays fora do armário,
Nunca houveram tantos negros mobilizados por direitos,
Nunca se falou tanto sobre a aceitação das diferenças na escola,
Nunca foi proibido fazer piada com o gordinho da escola,
Nunca deficientes ficaram tão presentes e visíveis na sociedade.
É muita inclusão! É muita igualdade!
É hora de parar!
Na verdade, é hora de ignorar todos esses direitos, relega-los, deixar de se beneficiar deles, fingir que eles nunca existiram, e dessa forma também esquecer todos aqueles que lutaram ou morreram para que eles existissem hoje, mesmo que não plenamente.
Não é hora de se importar com Rosa Luxemburgo, Simone de Beauvoir, Maria Lacerda de Moura, Deolinda Daltro, dentre tantas outras mulheres que ajudaram na construção dos direitos conquistados. A partir de hoje, mulheres não tem mais o direito ao voto, não tem direito a salário igual ao dos homens, na verdade não devem nem trabalhar, devem ficar cuidando dos afazeres domésticos, preocupadas com a criação dos vários filhos, não precisa de educação sistematizada, caso trabalhem deverão cumprir 14 horas de trabalho, sem direito a licença maternidade, não poderão participar das competições esportivas, não poderão participar da política, e perder esses direitos me parece muito justo, afinal de contas, quem acha que tem direitos demais, não merece ter direito algum.
Não é hora de se importar com Zumbi, Aqualtune, Acotirene, Dandara, Martin Luther King, John Tompson, dentre outros negros que lutaram pela construção dos direitos conquistados. A partir de hoje os negros devem voltar para as senzalas, não tem mais direito à liberdade, e estão subjugados aos brancos, devem trabalhar durante 16 horas diárias na lavoura de seus donos, sem ter direito a salário, ao término do dia do trabalho devem ser acorrentados dentro de senzalas, como castigo por não suportarem o regime de escravidão deverão ser açoitados em um tronco. Negros poderão ser comercializados, traficados desde o nascimento. Negros não terão direito a educação, a moradia, a voto, a participar da política, negros deverão ficar no lugar de onde nunca deveriam ter saído, do tronco, das senzalas, servindo aos brancos. E perder esses direitos me parece muito justo, afinal de contas, quem acha que tem direitos demais, não merece ter direito algum.
Não é hora de se importar com Harvey Milk (Ativista político LGBT assassinado), Dayane Ramos dos Santos (Lésbica Assassinada), João Donati (Gay assassinado), Cristal (Trans assassinada), dentre outros que morreram pelo simples fato de serem lésbicas, gays ou trans. A partir de hoje os lgbts devem retornar para os seus armários, para o ostracismo, devem ser representados somente como estereótipos caricatos, podem ser uma forma de ofensa, podem servir de piadas nas escolas, não devem ter direitos civis garantidos aos héteros, podem ser espancados, assassinados, ofendidos, podem ser demonizados nas igrejas, podem ser agredidos com lâmpadas, devem ser submetidos a curas, a tratamentos de choque, podem ser lançados de altos edifícios, não podem demonstrar afeto em público, não devem ser representados seriamente em nenhuma mídia, devem ser marginalizados, devem ficar calados, devem fazer o possível para não ser o que são, devem fingir, devem se heteronormatizar para serem aceitos, não devem se casar, não devem formar famílias, adotar filhos. E não ter esses direitos me parece muito justo, afinal de contas, quem acha que tem direitos demais, não merece ter direito algum.
Não é hora de se importar com todos os índios que aqui estavam antes de qualquer colonização, e mesmo assim tiveram que lutar para não serem escravizados, e até hoje não conseguem garantir sua existência frente a grande pressão e violência dos latifundiários, donos de terras, políticos entre outros. Decrete-se logo a extinção dos índios, que eles sejam reduzidos a ilustração de livros de história, ou que sejam evangelizados, urbanizados, higienizados, extirpados de sua cultura e urbanizados. E não ter esses direitos me parece muito justo, afinal de contas, quem acha que tem direitos demais, não merece ter direito algum.
Não é hora de se importar com Chico Mendes, Doroty Stang, entre outros que lutaram contra o desmatamento, pela reforma agrária, pelo fim da exploração, pelo direito dos trabalhadores rurais, contra os grandes latifundiários. A partir de agora a terra é única e exclusiva daqueles que são herdeiros de quem se apossou de terras por meio da bala, pequenos produtores, homens e mulheres sem-terra, e sem teto não devem requerer esse direito, por que nós ainda vivemos nos tempos da lei do mais forte, de quem tem a arma, de quem tem influencias, de quem explora a terra para lucros astronômicos, para quem usa terras como especulação imobiliária. E não ter esses direitos me parece muito justo, afinal de contas, quem acha que tem direitos demais, não merece ter direito algum.
Não é hora de se importar com a diversidade nas escolas, com os traumas, com a crueldade. A partir de agora tudo e todos que forem diferentes dos padrões de normalidade estereotipados devem ser atacados, humilhados, marginalizados, espancados, ofendidos, e nenhuma atitude por parte dos professores e diretores devem ser tomadas, são apenas piadas, e ser politicamente correto é muito chato para quem está dentro dos padrões e adora demonstrar poder do alto de seus privilégios históricos. E não ter direito de reclamar me parece muito justo, afinal de contas, quem acha que tem direitos demais, não merece ter direito algum.
Não é hora de se importar com as crianças e adolescentes, nem com a exploração do trabalho infantil, nem com falta de políticas públicas, nem com abusos, nem com processo de formação. A partir de agora crianças e adolescentes devem ser tratados feito adultos formados, mesmo não tendo formação devem cumprir os mesmos deveres, devem trabalhar ao invés de estudar, não é prioridade estudar, podem começar no trabalho já aos quatro anos de idade, que é para aprender como a vida é, devem ser punidos como os adultos, devem ser colocados dentro do mesmo sistema carcerário falido que os adultos frequentam, independente das oportunidades que essas crianças e adolescentes tiveram, eles obviamente tinham várias opções de crescerem meninos de bem, meninos e meninas honrados, prontos para alcançarem o mesmo sucesso de meninos e meninas de classe média alta conseguem morando em seus apartamentos, estudando em escolas particulares, fazendo várias viagens, se não tiverem é simplesmente por que não querem. Ao invés de políticas públicas para resgatar os jovens, políticos devem votar leis que reduzam a maioridade penal, quanto antes preto e pobre ser tirado de circulação, melhor. E não ter esses direitos me parece muito justo, afinal de contas, quem acha que tem direitos demais, não merece ter direito algum.
E por fim, não é hora de se importar com todos os deficientes que morreram sem nunca serem apresentados a sociedade, por vergonha, por serem marginalizados, demonizados, que por anos passaram escondidos, sem usufruir dos mesmos direitos. A partir de agora acabemos com as APAES, com as políticas de inclusão e de acessibilidade, que os deficientes voltem para seus quartos fechados, escondidos, abandonados, sem direito a estudar, sem direito a socializar, sem direito a viver. E não ter esses direitos me parece muito justo, afinal de contas, quem acha que tem direitos demais, não merece ter direito algum.
Os direitos humanos está atrapalhando o direito do opressor, o direito do agressor, o direito do preconceituoso, o direito do privilegiado, o direito do machista, o direito do latifundiário, o direito dos heteronormativos, o direito do sinhozinho, o direito do dono da propriedade privada e dos meios de produção, o direito dos patrões, o direito pelo discurso de ódio, o direito aos espancamentos, aos assassinatos, aos extermínios, as chibatadas. Os direitos humanos estão acabando com a supremacia branca, heterossexual, patriarcal, monogâmica, misógina, poderosa, elitista que foi conquistada a muito custo, muito suor, e muito sangue, de quem nunca deveria ter direitos.

São direitos humanos demais!

E eu quero ainda mais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pedras na janela

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...